domingo, 22 de agosto de 2010

Aonde Flores

Tudo bem, podem dizer que eu não sou uma rockeira de verdade, que eu trai o movimento punk ou qualquer outra coisa.

Mas acho que não há limites se a música é boa.

Ultimamente estou pendendo mais pra um lado alternativo ( sem deixar os velhos estilos de lado, é claro ), e acho que por isso estou começando a curtir umas coisas mais leves. Um pouco disso também é porque Camila, a garota que trabalha na mesma sala que eu, e é a DJ todos os dias, gosta de coisas assim, tipo MPB e samba, escuta sempre e vem me influenciando bem de leve, hehehe.

Dai, ouvi essa música domingo de manhã e amei.

São alguns versos absolutamente simples e incrivelmente lindos.


Trova (Aonde Flores) - Zeca Baleiro

No céu azul nuvens nuas

No teu olhar céus febris

Passos maiores que as ruas
Canções que eu nunca fiz


Tu pisavas distraída
por entre os carros sem dor
andando pela avenida

como se andasse num andor


Pra onde fores eu vou,
Aonde flores eu fujo
Te dou meu poema sujo

que eu não sei fazer toada


Menos que se quer é tudo
Tudo que se tem é nada...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Sol




O dia hoje está com cheiro de infância,
cheiro de vida e flores.

O sol é como era a 10 anos atrás
seu calor, refrigerante,
lembra-me bolhas de sabão e ar
e então eu poderia agradecer por ser uma criança feliz
sem deixar de ser adulta ao mesmo tempo
sem deixar de cuidar das pessoas que me tem
e querendo ser descuidada com as coisas que me atraem

Eu olharia mais um vez para sua luz
e desviaria os olhos em seguida
somente para perceber,
que ela ainda está aqui,
em algum lugar...

E lembraria de cada botão de rosa
de cada bola rolando ao chão
sem saber que os mesmos ventos que aqui sopraram em outras épocas
me recordariam o quão a juventude me foi generosa.









Abaixo, seguem as fotos das flores que me fazem lembrar o sol, título deste texto.



( Uma das fotos que mais gosto e uma das mais incríveis - o voo de uma joaninha - simples mas ainda sim lindo )











Luz do Sol



Flores ao caminho..

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Kill Bill

Um dos filmes mais sangrentos que já vi e um dos que mais gosto. Kill Bill conta a história de vingança de Beatrix Kiddo. Inspirado num filme japonês muito antigo, em Kill Bill, o diretor Quentin Tarantino mistura vários elementos desde trash, kung fu, preto e branco e animações.



O filme, foi dividido em dois volumes como todos sabem, e conta a trajetória de assassinatos e vingança de Beatrix contra seus ex-companheiros do entitulado "Esquadrão Assassino de Víboras Mortais" e o foco principal Bill. O motivo para todo esse desejo de sangue: tentaram matar Beatrix no dia de ensaio de seu casamento. E pior, mataram seu noivo, todos os presentes e mais uns segredinhos que não vou contar. Assista esse filme, é incrível.



E bem, esse post como todos os outros tras a letra de uma música. Desta vez, escolhi Desert Song, de uma das minhas bandas favoritas, My Chemical Romance. Gosto de associá-la a Kill Bill, por que esta canção também está cheia de morte e pode ser comparada a história de Beatrix e Bill.



Abaixo posto a tradução da canção e outro desenho, um chibi da Beatrix.







Desert Song - My Chemical Romance

Nós seguramos em nossos corações a espada e a fé
Inchados pelas nuvens de chuva, movendo-se como uma grinalda
Bem depois de tudo, nos mentiremos outro dia
E apesar de tudo
Nós acharemos algum outro modo
Para continuar através de cartilagem e fluído
E você veio para olhar, ou lavar o sangue?

Bem hoje à noite, bem hoje à noite
Chegará algum dia?
Gastando o resto de seus dias
Balançando só para o morto
Bem, esta noite
Chegará algum dia?
Eu posso te ver acordada qualquer hora em minha cabeça
Então todos nós caímos?
Ainda todos nós caímos?
Das luzes para o pavimento
Da van para o chão
Dos bastidores para o médico
Da Terra para o necrotério
Necrotério, necrotério, necrotério.
Bem hoje à noite,
Chegará algum dia?
Gastando o resto de seus dias
Balançando só para o morto
Bem, hoje à noite,
Chegará algum dia?
Eu posso vê-la acordada qualquer hora em minha cabeça
Todos caem...
Bem, depois de tudo...

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Helena

Bom, muitos dos rockeiros que visitariam meu blog ( hipoteticamente, porque eu sei que ninguem visita esse troço.. na verdade eu nem sei pra que fiz um blog que sei que nao vai ser visitado, mas enfim.. ) diriam que essa canção que estou para postar é uma grande merda, por diversos motivos, dentre eles, por que a banda a qual essa música pertence é My Chemical Romance.

Para mim, isso não faz muita diferença. Pra quem detesta MCR, eu sinto muito. Estão perdendo uma ótima banda. Gerard Way tem uma voz linda e sabe gritar muito, hehehe. A banda em si é maravilhosa, adoro a energia que eles tem no palco e nas canções.

A música para a qual vou dedicar um espacinho do meu blog, é Helena, e está presente no albúm Three Cheers for Sweet Revenge, que eu, graciosamente ( hehe ) resolvi desenhar a capa. Um dos meus desenhos mais antigos ainda.

Contando um pouco da história da música, ela tem esse nome em homenagem a avó de Gerard, que apoiou a banda mas infelizmente faleceu antes que presenciar o auge do grupo. E mais, Helena é apenas a segunda parte da história escondida atrás de Sweet Revenge.

A história mesmo começa na canção Demolition Lovers, do albúm anterior da banda, onde Helena e seu amado ( que eu não sei o nome ) estão fugindo e são mortos num tiroteio. Ele, acaba no purgatório e acredita que Helena está no paraíso. Para chegar até ela, ele crê que deve voltar a Terra e matar mil homens maus.

O video da música Helena mostra como Ele, acha que foi o funeral de sua companheira.

Ao decorrer de cada música de Sweet Revenge é revelado um pedaço da história desse casal.

São canções um tanto violentas e cheias de morte, e eu as amo. Os melhores sons, além da própria Helena, são I'm not Okay; The Ghost of You; Thank you for Venom e Cemetery Drive, cheios de rock'n'roll, baby.. hehe.





Helena

Long ago,
Just like the hearse
You die to get in again
We are so far from you

Burning on, just like the match
You strike to incinerate
The lives of everyone you know
And what's the worst you take
From every heart you break
And like the blade you stain
Well, I've been holding on tonight

What's the worst that I can say
Things are better if I stay
So long and goodnight
So long not goodnight

Came a time
When every star falls
Brought you to tears again
We are the very hurt you sold
And what's the worst you take
From every heart you break
And like the blade you stain
Well, I've been holding on tonight

What's the worst that I can say?
Things are better if I stay
So long and goodnight
So long not goodnight


Well, if you carry on this way
Things are better if I stay
So long and goodnight
So long not goodnight


Can you hear me?
Are you near me?
Can we pretend to leave?
And then we'll meet again
When both our cars collide